📦 ENVIOS GRÁTIS A PARTIR DE 30€ CONTINENTE E ILHAS!

Diferença entre CBD e THC

A diferença entre CBD e THC é essencialmente o efeito de cada canabinoide no nosso organismo. Mas, antes de desenvolvermos essa diferença, começamos por explicar o que significa:

CANNABINOIDE

É um termo usado para descrever as substâncias, sejam elas naturais ou artificiais, que compõem a Cannabis e contribuem para a libertação de neurotransmissores no nosso cérebro. A composição química dos canabinoides assemelham-se aos endocanabinoides (ECS), substância que é produzida pelo nosso próprio corpo, interagindo da mesma forma que as substâncias encontradas na planta.
Dos canabinoides mais populares, existe o CBD (abreviatura de Canabidiol) e o THC (abreviatura de Tetrahidrocanabinol), duas das 104 substâncias ativas que se encontra na planta, sendo as mais populares e faladas.
Temos o lado bom, o CBD e o lado mau, o THC, que desempenham funções e interações diferentes no nosso corpo, influenciando e interagindo em diversas situações como a dor, o apetite, humor, memória, sono e até a resposta imunológica ou os ciclos vitais das células. Comparamos de seguida a diferença:

PSICOATIVO vs NÃO-PSICOATIVO

Uma das principais diferenças entre o CBD e o THC é sua capacidade de causar euforia, ficar sem reação, perder a noção do tempo, etc, após o consumo. Quando se pensa em maconha ou cannabis, THC é o cannabinoide que vem logo à mente. Ele atua diretamente na ativação de células do recetor cannabinoide CB1 (agonista), sendo responsável pelo efeito psicoativo no cérebro e sistema nervoso central.
Os seus efeitos secundários colaterais a curto prazo são:

  • Problemas de memória;
  • Tempo de reação reduzido/inexistente;
  • Vasodilatação nos olhos;
  • Aumento do apetite;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Problemas de coordenação;
  • Boca seca.

Apesar dos seus efeitos negativos, é impossível haver overdose fatal do cannabinoide. Contudo, o seu consumo frequente pode desencadear efeitos secundários negativos a longo prazo tal como a esquizofrenia.

Já o CBD por sua vez, atua no recetor cannabinoide CB2 (antagonista), suprimindo até as propriedades do THC nos recetores CB1. O que significa que o CBD não deixa o consumidor sem reação e não vicia, não importa a quantidade consumida. As suas propriedades são benéficas com diversas aplicações terapêuticas, que pode encontrar no nosso artigo aqui

Formas de Consumo

Existem diversas formas de consumo, das quais a oferta no mercado varia de país para país consoante a legislação aplicável, principalmente na proporção de THC, que é mais limitada em certos países que outros, não havendo geralmente limites na proporção de CBD. Na Suiça, por exemplo, o limite de THC é de 1% enquanto que, na União Europeia, em regra geral o limite é de 0,2%.

A forma mais comum de consumo é fumar, principalmente para potenciar os efeitos do CBD e THC. Contudo, existem hoje em dia em diversos outros formatos, para aplicações terapêuticas ou simplesmente para uso recreativo:

  • Ingestão oral
O produto mais popular, o óleo CBD, é o mais usado para ingestão, pois permite uma rápida absorção pela língua e pode ser controlada a dosagem através das gotas. Também existe em pasta, cristais e em cápsulas, além de que, para uso recreativo, também existem outros produtos, tais como chás, cerveja ou até bolos.
  • Uso externo
A diferença na utilização externa é na ativação das substâncias localmente, não sendo absorvida totalmente pela corrente sanguínea, ao invés da ingestão oral. Neste formato existem as pomadas, cremes, bálsamos, champô, gel de duche, sabonetes, óleos corporais, batons ou sais de banho, com os seus fins específicos, como o tratamento da acne ou hidratação dos lábios por exemplo.
    • Vaporização
    A vaporização (ou evaporação) é vista como a maneira mais relaxante de ingerir e como a forma mais saudável de ingestão, pois não estão associadas substâncias tóxicas que acabam nos nossos pulmões, como fumar. A evolução nesta área permitiu haver hoje em dia uma oferta diversificada de e-líquidos à base de CBD adequados para qualquer tipo de vaporizador, que quando ingeridas, são imediatamente absorvidas na corrente sanguínea e permanecem no corpo entre 2 a 4 horas.
    • Ingestão retal
    Outra forma mais recente de ingestão para atuação muito rápida no organismo é a ingestão retal através de um supositório CBD, o qual pode ser inserido tanto por via retal, como por via vaginal. No entanto as aplicações por este meio são mais de foro medicinal e terapêutico, que propriamente recreativo.

    A aplicação dos diversos produtos existentes que pode encontrar na nossa loja, podem ser aplicados tanto em adultos, como crianças ou até no seu animal doméstico. Consulte toda a nossa gama e verifique nos detalhes as aplicações que cada um pode ter.